Dicionário de Ovniologia

DICIONÁRIO DE OVNIOLOGIA


O texto a seguir é um capítulo retirado do livro O Povo do Espaço, de
Paulo de Carvalho-Neto

| Epígrafes Ovniológicas | Introdução | Referências bibliográficas: |
| A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | R | S | T | U | V |



Epígrafes Ovniológicas


Uma das muitas características próprias da Ovniologia universal é a força de sua linguagem afirmativa a boiar num maremagnum de hipóteses. Ou é a sutileza de suas afirmações infiltrando-se em nossa maneira de lidar com o real maravilhoso. Pois os ufólogos nunca chegarão a se conduzir totalmente frios no trato da questão ufológica, porque sua conduta é parte da natureza humana. Não obstante, os mais apaixonados dos apaixonados chegarão tão longe quanto os mais gélidos dos gélidos analistas "científicos". Objetividade e introspeção são traços do caráter humano e talvez do caráter alienígena, nossos irmãos estelares. Não há mal em observá-la a sangue frio. Realidade e fantasia são irmãs gêmeas que, juntas sabem melhor como remar na escuridão da ignorância.
Aqui, entrego ao leitor epígrafes que pesco de dentro de um rio delas. O método é simples: ler os trechos, senti-los, relê-los, ignorá-los, lê-los soletrando e, finalmente, extraí-los do contexto:

"A vida, isto é certo, não se resume à Terra e não é privilégio do homem. O ufólogo somente participará dessa conquista tornando-se efetivamente um cientista".
- Márcio Almeida

"O conctato directo com outros seres do universo está muito distante porque nós mesmos adiamos esse encontro".
Antonio Faleiro

"Não há razão para que o Presidente saiba de tudo; ele deve saber apenas o suficiente para não colocar o país em risco".
Robert Lazar

"A Força Aérea dos Estados Unidos levou a cabo várias tentativas de derrubar discos voadores para poder estudá-los".
Major Donald Keyhoe

"As implicações para a segurança nacional são de grande importância, dado que as intenções destes visitantes continuam sendo desconhecidas".
Parágrafo do Documento Majestic 12

"Essa mudança global de consciência é inevitável, pois os OVNIs estão mesmo chegando (...) Somos todos a tripulação das caravelas de Pedro Álvares Cabral, alguns minutos antes de pisar em terra firme (...). Cada um que se prepare à sua maneira para esperar pelo inevitável".
A. J. Gevaerd


Introdução
A palavra dicionário, por definição, é um "conjunto de vocábulos de uma língua ou de termos próprios de sua ciência ou arte dispostos alfabeticamente e com o respectivo significado, ou a sua versão em outra língua". A voz vem do latim medieval dicionario e com ela pretendemos haver entregue ao leitor uma grande parte expressiva de termos devidamente hilvanados, que se manipulam para explicar a Ovniologia, dando lugar a um entendimento coletivo entre todas aquelas pessoas que, de uma forma ou outra, ligam-se hoje ao conhecimento dessa fascinante matéria.
Convém observar que a presente obra segue a mesma metodologia que deu lugar aos nossos dicionários anteriores - Diccionario del Folklore Ecuatoriano e Diccionario de Teoria Folklórica -, segundo a qual várias vozes se juntam por afinidade, constituindo feixes de vozes aglutinadas pelo mesmo significado, os quais agem como troncos ou raízes linguísticas.
Sempre que possível, ilustro a redação do conceito com exemplos de vida registrados in loco pelas fontes consultadas, o que possibilita uma melhor compreensão do texto. Em nenhum momento, como dicionarista, dei por encerrado cada verbete. O leitor, servindo-se da bibliografia que indico em seus momentos precisos, aprofundará seus conhecimentos e satisfará suas necessidades de preparar aulas e conferências. Nosso Dicionário é apenas um ponto de partida. Entrego-o ao leitor de um modo facilitado. Que esta obra sirva de preâmbulo à extrema e fabulosa soma de dados armazenados pelo Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV).
Há de se convir, contudo, que evitei incluir termos procedentes da Física e Química puras, ou que se encontram, sem dúvida, nos dicionários dessas matérias. Finalmente, dei por encerrada esta primeira entrega de nossa obra ao alcançar o total de alguns verbetes. Soma esta absolutamente modesta ante o que a realidade nos mostraria se fôssemos registrar todos os vocábulos aparentemente OVNIlógicos com que nos deparamos no transcurso de nossas leituras e diálogos informais com colegas e, até mesmo, curiosos da oralidade pura e simples. Se algum mérito nos há de caber, será o de Dicionarista - com maior propriedade, sistematizador - tendo em vista entregar ao leitor as bases do manual que lhe fazia falta.
Na formulação do conceito de cada essência vocabular reside o mérito de seus expositores, cuidadosamente registrados na bibliografia final: Claudeir Covo, Rafael Cury, Antonio Faleiro, João Farias, Irene Granchi, Marco Antonio Petit e tantíssimos outros, entre os quais a Equipe UFO. Todos de uma certa maneira motivados e orientados por A. J. Gevaerd.

A

Abdução - Rapto de humanos perpetrado por ETs, que geralmente empregam recursos psíquicos, valendo-se de iluminação tão intensa que faz com que a vítima ou vítimas se assustem e percam a consciência. Costumam durar pouco tempo. Jocelino Mattos foi abduzido das 23h à 01h30 da manhã em pleno Jardim Alvorada, populoso bairro da cidade de Maringá, estado do Paraná. (STEVENS, 1996).
Noé foi levado até o céu e, rapidamente, alcançou um muro com pedras de cristal. Abdução não se confunde com avistamento (v). (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996:06). Para Marco Antonio Petit, um dos casos mais extraordinários da história da Ovniologia, aconteceu em 28 de novembro de 1967, na fazenda do Rio do Ouro, município de Alexânia (Goiás). Foram vistos seres de baixa estatura e "criaturas semelhantes ao homem, que vestiam uma espécie de macacão colante ao corpo".
Certa noite de meados de abril de 1996, haviam pousado seres no pátio interno de uma pequena igreja do bairro de Guamiá, em Belém do Pará. O sacristão foi abduzido. O facto é detalhadamente narrado por José Luiz Lanhoso Martins em seu artigo "UFO pousa em igreja de Belém do Pará" (UFO 47, nov. 1996:21-25).
Outro caso: "A Sra. Linda Cortile, moradora de Nova York, foi abduzida do interior de seu apartamento em Manhattan, tendo sido levada por três extraterrestres para uma nave pouco acima do prédio onde reside. Linda foi tirada da cama por seus abdutores, que a levaram flutuando pelo ar". Este relato foi tema de uma conferência do Prof. Walt H. Andrews.
Para A. J. Gevaerd, poder-se-ia dizer que no Brasil as abduções são não poluídas, enquanto que nos Estados Unidos elas são inteiramente poluídas. Observações estas que servem de classificação. (GEVAERD, "Resgatando a casuística brasileira", UFO Especial 16, jan. 1997:05). Ultimamente, "UFOs pousam e sequestram em todo o Estado de São Paulo", informa UFO Especial 16, jan. 1997. Tornando-se esses artigos indispensáveis à bibliografia.
A dúvida sobre o tema mudou completamente em 1996, durante o Simpósio Internacional UFO realizado na Austrália. Nele, o professor Dr. John Mack, Prêmio Pulitzer, revelou que "as abduções são reais e podem ser provadas". Sua declaração causou até mesmo sua exclusão do corpo docente da Universidade de Harvard. O Dr. Mack contratou um advogado que acionou a Universidade e a fez retroceder. ("Simpósio Mundial na Austrália", UFO 48, dez. 1996:14-17).

Aberração genética - Deformação própria de combinação genéticas incompatíveis. Ver Chupacabras.

Abduções violentas - "A ruína dos abduzidos, tanto em fase positiva quanto negativa, é a falta de preparo dos profissionais", assinalou Gilda Moura. "Ainda resta muito o que fazer e compreender, e a conscientização talvez seja o caminho mais árduo e espinhoso", assevera Orlando de Souza Barbosa Jr. ("Abduções: Um fenómeno ignorado há milênios", UFO, 1994:16). Para Ed Conroy, vários abduzidos "relacionam frequentemente a experiências físicas dolorosas que atribuem a exames médicos feitos por extraterrestres em suas naves ou em seus próprios dormitórios". (CONROY, "Tratamento médico dos traumas causados por raptos OVNIlógicos", UFO 30, maio 1994:18).

Acobertamento ufológico - Ver Informação/desinformação. Ato de abafar notícias secretas. Desde 1947, os Estados Unidos assinam "acordos de cooperação espacial com outros países no sentido de abafar" notícias rotuladas como top secret. (Covo, "Fim do acobertamento ecológico?" UFO 46, out 1996). A UFO Especial de 1995, n°9, já havia retransmitido ao mundo as declarações secretas do cientista Robert Lazar prestadas à TV norte-americana sobre a Área 51, em Nevada. Aclarações estas que constituem uma "Série de incríveis revelações que envolviam o governo dos EUA e a tecnologia extraterrestre". (Jorge Martin, "Extraordinárias revelações mostram o que o Governo dos EUA esconde ao mundo"). O leitor leigo mal apenas ouve soar expressões como tais: Star Wars (v), Bomba de Hidrogênio (v), acelerador de partículas, gravitação, sistemas de propulsão de campo, Informação Sensitiva Compartimentalizada (SCI), grande segurança Majestic, governo paralelo, manobras secretas de ocultamento de OVNIs, sistemas eletrônico e controles, fontes de força, reatores de antimatéria, prótons e neutros, termoacoplador, onda gravitacional, controle do espaço-tempo, invisibilidade, reator extraterrestre, Projeto Galileu, Projeto Looking Glass, Projeto Sidekick, Projeto Aquarius, Projeto Redlight, Projeto Edwards AFB, sistema de fusão nuclear, armas de pulsação eletromagnética, SDI, Raios de partículas, campos magnéticos, investigação laser, operação Majestic 12. A missão do Projeto Aquarius, em Nevada, é fazer testes de vôo com naves extraterrestres recuperadas.
Estes e muitos outros dados estão publicados no referido número de UFO Especial com extraordinárias revelações, de indispensável leitura sobre as tentativas de aproximação e entendimento mútuo entre o Governo dos Estados Unidos e os ETs, recorrendo-se inclusive à prática internacional de se sentarem à mesma mesa, de igual para igual, "e repartirem informações de interesse de ambas partes, secretamente". Meses mais tarde, publicou-se a UFO Especial nº 13, julho de 1996, com extraordinário repositório de velhas e novas fontes do Caso Varginha (v).

AEB - Agência Espacial Brasileira. O Presidente da AEB, Luiz G. Meira Filho, no dia 2 de março de 1996 assinou um acordo de cooperação espacial com a NASA, considerando top secret a notícia da captura de uma nave extraterrestre no Brasil. (COVO, "Fim do acobertamento ufológico?", UFO 46, out. 1996).

Alienígenas espirituais - (UFO 40, out. 1995:30). "Existem muitos livros que foram banidos do corpus bíblico por serem considerados apócrifos (incultos)". O livro do profeta Enoque, patriarca bíblico antediluviano, "mostra, entre outras coisas, que duzentos anjos desceram à Terra e tiveram filhos e filhas com as mulheres terrestres". Ensinaram os terrestres a astronomia, noções de meteorologia e a prática do aborto", entre outros conhecimentos.
Outras passagens bíblicas do mesmo gênero se referem a Noé (Capítulo 104), ao encontro de Abraão com três homens, a Ló (primeiro versículo, cap. 19), também versículo 18 do cap.19 em que, para Petit, há um evidente Contacto Imediato do 3º Grau. Noutra passagem, o profeta Elias é levado para o céu no interior de um carro de fogo. (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996: 06).
O grupo de Estudos OVNIlógicos Ahura-Mazda tratou o tema num breve artigo intitulado "Bíblia revela presença de Seres do Espaço na Terra". (UFO Especial 15, nov. 1996:13).


Alienígenas humanóides - Os visitantes (v) com perfis humanos.

Anjo - "Em seu significado primitivo, literal, quer dizer simplesmente mensageiro". No capítulo 13, do livro do Profeta Enoque, este revela detalhes de uma viagem espacial feita por ele (...). "Fui levado assim até o céu e rapidamente alcancei um muro construído com pedras de cristal. Chamas móveis envolviam seus contornos" (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial nov. 1996:06).
Observe-se que os Anjos de Enoque, considerados sob um prisma técnico com exceção de Joaquim e Asbeel, influenciavam agrônomos, químicos, matemáticos, físicos, astrônomos, meteorologistas, peritos em armas e engenheiros. Vale dizer que exerciam atividades próprias dos ETs. A observação é de Orlando de Souza Barros Júnior (SOUZA Barros, "Bíblia descreve miscigenação entre extraterrestre e humanos", UFO Especial 15, nov. 1996:26) em cujo caso a voz "Anjo" no passado equivalia à voz "extraterrestre" do presente.

Antropocentrismo - "Necessidade inerente à raça humana de afirmar-se como criatura suprema e acabada, o que algum dia fez com que o homem vinculasse sua imagem à dos deuses". Segundo Viggiano, o antropomorfismo prepondera nos filmes OVNIlógicos, "não apenas no que diz respeito à forma e ao comportamento das criaturas, mas também sob o aspecto filosófico". Para Viggiano "é na forma física e no comportamento dos extraterrestres que o antropomorfismo se faz mais aparente". Agrega: "Observando os seres criados por Hollywood vamos verificar que a maioria deles tem uma estrutura corporal semelhante à dos humanos: cabeça, tronco e membro". Contudo, "é claro que a partir desta estrutura básica, os maquiadores dão vazão às suas fantasias, criando as coisas mais estranhas possíveis". (VIGGIANO, Renzo. "A caracterização de ETs na ficção científica cinematográfica", UFO Especial 07, jun. 1995:05).

Arca - "Os antigos islamitas chamavam os OVNIs de arcas", segundo o ufólogo João Farias, em seu estudo sobre os "artefatos celestes". No Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos escrito por Maomé, a palavra arca corresponde exatamente ao que conhecemos como disco voador (v). (UFO Especial 15, nov. 1996:33).

Áreas de incidência - (sinônimo de "janelas") Segundo Petit, "áreas de incidência ou janelas, são áreas onde, por motivos diferenciados, os chamados discos voadores se manifestam de maneira mais corriqueira, permitindo um número considerável de observações". Acrescenta: "Em algumas destas regiões o fenómeno permaneceu ativo apenas por poucos anos, mas em outras já dura várias décadas". "Uma destas áreas - prossegue Petit - é, sem dúvida, o município de Passa Tempo, no interior do Estado de Minas Gerais. Esta área é pesquisada há quase 30 anos pelo ufólogo Antonio Faleiro". (PETIT DE CASTRO, Marco Antonio, "ETs convivem com moradores do interior do Rio de Janeiro", UFO Especial 08, set. 1995:3-7).
Ata de concórdia entre o povo da Terra e o povo do espaço - Criação de uma Comissão Oficial Terrestre-Ufológica para garantir os limites do espaço aéreo nacional de ambas partes. (PARANHOS, Emanoel, "UFOs na Bahia", UFO 39, 1995).

Atividade tectônica - Ver avistamento.

Autenticidade - No dizer do ufologista João Farias, "inúmeras pessoas ainda questionam: será que os OVNIs existem?" Resposta: "Seis factores atestam a veracidade do fenómeno OVNIlógico: 1) as fotos; 2) as experiências dos contatados; 3) a hipnose regressiva; 4) os radares; 5) os aviões; e, 6) os relatos bíblicos. "As fotos estão aí - assevera João Farias - devidamente analisadas, com autenticidade comprovada; os contatados relatam suas experiências; a hipnose regressiva nos ajuda a verificar os factos; os radares dos aeroportos detectam os OVNIs e os aviões dividem o mesmo espaço em nossos céus. Até na incontestável Bíblia encontramos relatos sobre eles". (FARIAS, João, UFO Especial 15, nov. 1996:32).

Avistamento - (atividade tectônica). "No dia 14 de Janeiro de 1996, no Jardim Petrópolis, Campo Grande (MS), aproximadamente às 22h, eu e mais quatro pessoas, incluindo dois amigos, vimos um objecto oval de cor alaranjada que não oscilava no céu. Ele vinha em nossa direção mas, de repente, virou à direita". São deste teor os relatos de avistamento. É um dos capítulos mais ricos de testemunhos. Consulte-se, por exemplo, "Relatos", Revista UFO 46, outubro 1996, p.36.
Avistamento não se confunde com abdução (v). Segundo Petit, "O psicofisologista canadense Michael Persinger apresentou uma teoria que tentava explicar os avistamentos ocorridos como tendo origem em processos geofísicos associados às falhas geológicas, ou fraturas na crosta terrestre". Noutras palavras, por atividade tectônica deve-se entender os "movimentos subterrâneos na estrutura geológica do planeta, verificados ao longo das linhas de falha". Tais movimentos comprimiam cristais de quartzo, formando rochas. "Este processo liberaria energia na forma das luzes, que estavam sendo observadas". (PETIT, Marco Antonio, "ETs convivem com moradores do interior do Rio de Janeiro", UFO Especial 08, set. 1995:3-7). Os avistamentos são perigosos para o ser humano. Os olhos de Betty Cash ficaram "totalmente inchados, doloridos, lacrimejantes; visão permanentemente danificada, febre, dores no estômago e cabeça, vômitos, diarréia, queimaduras e forte erupção violácea na pele, além de surgimento de câncer após dois anos". Vickie Landrum teve a "pele queimada, chagas, cicatrizes, febre, olhos inchados, perda excessiva de cabelo, diarréia, perda das unhas..." etc. Com Colby Landrum houve o mesmo: "febre, vômitos, diarréia, aumento anormal do número de cáries dentárias" etc. (LAZAR, Robert: "As experiências secretas com OVNIs na área 51 geram vítimas com ferimentos e até mortes", UFO Especial 09, nov. 1995:20-21). O leitor interessado em maiores dados descritivos encontrará na Revista UFO vários artigos sobre o tema, notadamente o trabalho de Alonso Valdi RÉGIS (UFO Especial 05).

B

Base subterrânea - "Os ufólogos acreditam na existência de uma base subterrânea de operações ufológicas na região de Iporanga, cidade do sul do Estado de São Paulo". O registro é de Edison Boaventura Júnior, que considera ser importante considerar a incidência de avistamentos e quantidade de cavernas que existem no local. Só o Parque Estadual e Turístico do Alto Ribeira já catalogou 240 cavernas, sendo que muitas pessoas dizem ter visto bolas de fogo saindo de tais grutas". (BOAVENTURA Júnior, Edison, "Nova onda ufológica", UFO 38, jun. 1995:24).

Bíblia - Ver também Deus, Jesus, Espiritualismo. "A casa de meu Pai tem muitas moradas' é uma das passagens bíblicas que mais diretamente mostra o quão populoso é o universo e mostra também que Deus é o Pai de outras civilizações humanas e espalhadas pela imensidão cósmica". (GEVAERD, Ademar, UFO 15, nov. 1996:05). Em nosso livro "O Povo do Espaço", tratamos dos profetas bíblicos considerados como ETs. Posteriormente, UFO Especial, em seu número 15, de novembro 1996, abordou o tema OVNIs na Bíblia, com colaborações básicas de Marco Antonio Petit, Oswaldo Cardoso, João Farias, Eduardo V. Pignone, Orlando de Souza Júnior e Fernando Alves Corrêa. Acrescente-se que a mesma Revista ainda considerou obra clássica o livro de Fernando Cleto Nunes Pereira, intitulado "A Bíblia e os Discos Voadores" (UFO 7, jun. 1989:27).

Bolas de fogo - Ver bases subterrâneas.

Bomba de hidrogênio - Ver acobertamento.

Bruno - Giordano Bruno foi um pensador que defendia a existência de outros mundos e que, por isso, morreu queimado pelas chamas da Santa Inquisição no dia 17 de fevereiro de 1600. (Petit, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996:06).

Buraco negro - "Se uma massa estelar se condensa suficientemente para implodir toda a resistência subatômica em seu colapso, um ponto de massa com grande força gravitacional se forma no fundo de um poço hiperespacial". Esse ponto de massa chama-se buraco negro. (SWORDS, "Analisando a hipótese dos OVNIs como viajantes do tempo", UFO Especial 14, set. 1996:09).

C

Captura de nave extraterrestre - No dia 28 de Julho de 1947 "um jornal publicou uma nota oficial da Base Aérea de Roswell relatando a captura de uma nave extraterrestre". No dia 20 de Janeiro de 1996, em Varginha (v), Sul de Minas Gerais, "o Exército, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar capturaram estranhas criaturas de origem desconhecida..." (COVO, Claudeir, "Fim do acobertamento ufológico?", UFO 46, out. 1996). Na descrição colhida pelo ufólogo Marco Antonio PETIT, baseado em informantes, "a criatura andava sobre duas pernas, tinha altura estimada em 1,80 m e não trajava qualquer forma de vestimenta. Tinha braços longos e finos, com mãos grandes e geladas. O ser cheirava mal e tinha as pernas curvas. (PETIT, UFO 46, out. 1996:18).
A equipe UFO reuniu vários registros de casuística, que constituem valiosa documentação sobre o tema. O leitor interessado deve consultar "Mais uma onda ufológica atinge vários estados brasileiros" (UFO 46, out. 1996:26) e também Eduardo e Osvaldo MONDINI, "Interior de São Paulo é uma das regiões onde mais se avistam UFOs" (UFO 46, out. 1996:27). De igual modo: Alberto ROMERO, "Novas evidências confirmam abdução no interior da Bahia" (UFO 46, out. 1996:29). Em termos de estatística, registraram-se no Brasil 500 casos em 1995 e cerca de 700 só no primeiro semestre de 1996. Segundo Editorial da revista UFO Especial 13 o número de ocorrências ufológicas, somente em 1996, aumentou em 250%.

Casuística - Sob esta palavra classificam-se todos os casos relativos aos encontros entre humanos e alienígenas. A palavra é muito ampla e se encontra ligada a "contacto", "avistamento", "experiência genética", e muitas outras, sempre e quando seu significado expresse a idéia de fenómeno ocorrido, caso acontecido e relatado etc. Exemplos: "Um dos muitos casos foi o do jornalista Toledo Andriotto e seu irmã Francine, que aconteceu na madrugada de 20 de janeiro de 1995. Eles observaram o aparecimento de um OVNI a cerca de 5 km de sua casa. Era de formato arredondado, tinha a coloração levemente amarelada, sua luz era forte e não piscava. O objecto silencioso cruzou velozmente o céu de oeste para leste". (BOAVENTURA, Edison, UFO 38, jun. 1995).
Insisto em que este Dicionário não é de caráter quantitativo. Sua meta é puramente semântica, procurando o significado de cada termo. Deste modo o leitor que encontrar a afinidade desses termos terá descoberto a língua da Ovniologia, por partículas congregadas. Essas partículas levarão o leitor a perceber a mecânica do pensamento ufológico, tendente à incorporação das idéias.

Catolicismo - Ver Deus.

Chupacabras - Criatura que "tem a forma de animal, um par de asas, é muito selvagem, mede cerca de 1,15 m e é horrível", segundo um observador na periferia de Guayaquil, Equador, a 270 Km de Quito. O facto ocorreu em junho de 1996. Esse "Chupacabras" equatoriano tinha semelhanças com o que também apareceu em Porto Rico e México. (UFO 46, out. 1996:11). Na descrição do ufólogo Jorge Martin, a criatura tinha certas barbatanas no ombro, "variando de pequenas a grandes, desde a cabeça até a parte inferior das costas; movia essas barbatanas a uma velocidade tremenda". Tinha o corpo coberto por escamas parecidas com pêlo, porém mais fortes. "Patas extremamente fortes, o que possibilitava e ele correr e dar grandes saltos; seus pés eram semelhantes a garras. Não havia orelhas, somente orifícios auditivos. No lugar do nariz, furos. Não possuía lábios, no entanto, suas presas eram enormes. Seus olhos, grandes e muito vermelhos, com pupilas verticais como as de répteis". (MARTIN, Jorge, "Chupacabras: aliens ou aberração genética".
Que fazer com as Aberrações? Recebê-las com a mesma atenção que de certo modo dispensamos aos alienígenas humanóides? Ou desprezá-los e persegui-los por serem ETs deformados pelas experiências genéticas? Pergunto-me: e Deus, como fica nisso tudo, com suas lições de "amai uns aos outros"? Devemos devotar aos Chupacabras o mesmo amor com o qual procuramos entender os ETs humanóides? Que missão trazem à Terra as aberrações, se é que criaturas aberrantes são capazes de cumprir missões divinas? Cabe-lhes o direito de torturar, matar e devorar os humanos? Observe-se que esses tipos de Visitantes diferem muito entre si. Os monstrengos são "cinzentos malvados" e os humanóides são "louros benevolentes" como figuram registrados pela bibliografia discriminatória. Aqui poder-se-ia deduzir que tais humanóides raptam mulheres terrestres para copular. Tortura ou experiência genética humanóide? Estão querendo melhorar o seu tipo físico incorporando traços da mulher terrestre? Tais considerações são apenas o preâmbulo dos temas estéticos que integrarão a pauta das discussões teórico-práticas dos futuros Congressos do ano 2100.

Chupa-chupa - Denominação popular dada a um objecto voador não identificado que leva ao pânico os moradores do interior do Pará. Daniel Rebisso Giese colheu numerosos dados numa pesquisa de campo sobre o tema, publicando-os em seu artigo intitulado "O Fenómeno chupa-chupa na Amazônia". (UFO Especial 2, 1989:13-16). Será parecido com Chupacabras (v)?

Clarividência - Ver clarividente e telepatia.

Clarividente - Quem vê com clareza, espírito clarividente. (Ver telepatia).

Constelação - Há mais de 20 anos, os extraterrestres provenientes da Constelação das Plêiades iniciaram seus contactos quase contínuos. A informação é de Walter K. Buhler.

Contactado - Ver contacto.

Contacto - Ver violência nos contactos. Em meados dos anos 70, e já por mais de vinte anos, os extraterrestres vindos de Constelação das Plêiades iniciaram seus contactos. Esses extraterrestres preocupam-se com a superpopulação terrestre, com o desequilíbrio ecológico, com a fome e outros graves problemas. Eles pensam formar uma força policial cósmica, evitando a invasão da Terra por seres de civilização selvagem. (BUHLER, "Ovniologia, ética e política", UFO 44, jun. 1995:07).

Contactos, classificação - Curiosamente, os contactos se classificam em primeiro, segundo, terceiro e quarto graus. Nos contactos de terceiro grau "se enfatiza a ligação entre os fantásticos fenómenos extraterrestres e as manifestações religiosas; o clima sobrenatural vai sendo mantido ao longo do enredo, ao mesmo tempo em que se ressalta a incapacidade demonstrada pelos humanos para compreender os acontecimentos". Crêem os ufologistas que as civilizações extraterrestres visitam a Terra continuamente há mais de 4 mil anos. (MOURA, Gilda, "Considerações psicológicas sobre o Caso Varginha", UFO 43, abr. 1996:20). Ver também PINOTTI, Roberto, "Shirley MacLayne e as experiências ufológicas de artistas de Hollywood", UFO Especial 07, jul. 1995:8-12).
Steven Spielberg, com o seu filme "Close Encounters of the 3rd kind", foi o grande precursor do contacto imediato de Terceiro Grau. Humanos e alienígenas fazem um contacto pacífico. A Equipe UFO Especial acha que Spielberg filmou "com originalidade e expandiu as dimensões dos efeitos especiais além da imaginação". Mais do que um filme - assevera a Equipe - a obra de Spielberg é um alerta à Humanidade, pois se ainda não aconteceu o contacto final com ETs, isso é coisa que se espera para breve..." (UFO Especial 07, "UFOs em Hollywood", jul. 1995:17). Conste que "os OVNIs decidiram se aproximar definitivamente de nosso planeta logo após as primeiras explosões atômicas experimentais nos desertos do Sul dos Estados Unidos, a partir de 1942".
"Em 4 de dezembro de 1957, dois OVNIs foram observados sobre o quartel general do Exército, na Mourraria, culminando com um verdadeiro espetáculo aéreo sobre o largo da Costa de Comumu". Emanuel Paranhos, em seu estudo básico intitulado "Análise da casuística ufológica da Bahia" registra numerosos outros relatos (UFO 31, ago. 1994). Para muitos ufólogos, "a ciência simplesmente não leva em consideração os abduzidos e, consequentemente, não encara as possíveis soluções capazes de reconfortar seres humanos que têm sido aviltados, agredidos e até mesmo molestados sexualmente por seres de outros mundos". (BARBOSA JR., Orlando de Souza, "Abduções: um fenómeno ignorado há milênios", UFO 31, ago. 1994:16-18). Para o ufólogo espanhol Javier Sierra, "estatísticas realizadas em todo o mundo indicam que milhares de pessoas são contatadas por ETs de várias origens". (SIERRA, Javier, "Seres extraterrestres: deuses de uma nova religião").
Em minha opinião, o contacto, em nível global ou mundial, não deverá jamais acontecer, creio eu. O silêncio dos extraterrestres, sua invisibilidade, sua ausência, sua imprevisibilidade e seu comportamento fugidio parecem indicar que eles sabem do perigo que correriam contatando-nos de forma global ou oficial. Esse comportamento parece indicar também que eles respeitam nosso livre-arbítrio, nosso esforço para chegarmos até eles por nossa própria vontade e condições. É difícil - mas necessário - admitir que mas são eles que escolhem com quem falar e não ao contrário! (MELLO, Ademar Eugênio de, "O contacto final com nossos visitantes Extraterrestres", UFO 11, 1990:27).

Correlação Funcional - Há factos OVNIlógicos e folclóricos correlatos entre si. Factor este que acicata nosso desejo em decifrar as causas de tais correlações. Se existe semelhança entre tais factos é porque deve haver algum motivo. Que ou quais motivos são esses? Só a teoria do Close Encounter, isto é, do contacto pessoal, pode nos proporcionar uma resposta satisfatória. A procura de tais respostas constituem a base do Folclore Extraterrestre (v).

Contactos imediatos - O Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV) classificou os contactos com OVNIs e seus tripulantes em 6 categorias, baseado no nível de interações entre o fenómeno e o observador. No contacto imediato de Zero Grau, a observação do disco pelos humanos é simples, feita à grande distância, durante a noite (quando o objecto irradia brilho), ou durante o dia, se o objecto tem superfície metálica. No contacto imediato de primeiro grau, a observação é realizada à uma distância menor, de dia ou à noite, podendo-se ver detalhes do OVNI tais como janelas, focos de luz, anexos etc. No contacto de segundo grau, percebe-se o OVNI pousando no solo ou sobrevoando algum local; quase sempre deixa sinais de sua passagem, tais como vegetação queimada, fragmentos de metais, inclusive provocando perturbações em pessoas e animais. Em nível de terceiro grau, os tripulantes dos OVNIs se deixam observar, dentro ou fora do disco, embora sem se comunicar. No contacto de quarto grau, os tripulantes do OVNI se deixam observar oferecendo algum tipo de comunicação, através de fala, gestos ou telepatia. Quando o contacto é de quinto grau, os humanos entram no OVNI, com ou sem a permissão dos extraterrestres; se este ingresso se processa à força diz-se que houve sequestro, ou seja, abdução (v). Esta classificação, repito, é obra do CBPDV, útil pelos critérios estabelecidos, sem dúvida passíveis de aperfeiçoamento. (UFO 11, ago. 1990).

D

Desdobramento - Sinônimo de projeção astral. Saída do corpo físico. "Além de inúmeros avistamentos (v) registrados por fotografias e contactos físicos com os extraterrestres (v), o grupo teve ainda várias oportunidades de passar por desdobramentos controlados pelos próprios extraterrestres". (PETIT, Marco Antonio, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996:12).

Desaparecimento - Ver abdução. Há desaparecimento de objectos, em cujo caso a palavra apropriada é simplesmente desaparecimento. Mas o desaparecimento de pessoas é frequentemente chamado de abdução (v) ou sequestro. O sequestro é próprio do contacto imediato de quinto grau (v). No mar, a principal área de desaparecimento é o Triângulo das Bermudas, conhecido popularmente como Triângulo do Demônio, Triângulo da Morte, Mar das Feiticeiras, Cemitério do Atlântico, Mar de Sargaços, Mar dos Barcos Perdidos etc. São continentais os desaparecimentos. Em nosso livro "O Povo do Espaço" analisamos alguns dados referentes ao tema. Também na excelente matéria informativa de Solange Vieira Dantas, "Extraterrestres instalam bases na Terra", (UFO Especial 04, ago. 1990) o leitor encontrará um eloquente painel de realismo mágico em ação, até que se decifre a misteriosa conjunção de valores histórico-míticos deste fim de século.

Despistamento - Projeto de despistamento em que estavam envolvidos cientistas como J. A. Hynek, G. Robertson (da CIA), Eduard Condon, da Universidade do Colorado, e outros. Tinha por objetivo ocultar a verdade sobre os OVNIs, desmentindo acontecimentos e declarações de profissionais sérios. (BUHLER, "Ovniologia, ética e política", UFO 38, jun.1995:07).

Deus - Ver inteligência UFO. Ver Bíblia. (UFO 40, out. 1995:37). O contatado José Tadeu Alves perguntou à pequena tripulação de quatro seres de um disco voador (v) pousado em Brasília: "Vocês acreditam em Deus?". E o líder respondeu, serenamente: "Somos parte da mesma criação e tudo isso que você está vivenciando está ainda muito longe da compreensão da humanidade". Isto aconteceu em outubro de 1988. (ALVES, José Tadeu, "A incrível experiência de um contatado", UFO 39, jun. 1995:26-29). Segundo a Revista UFO, a religião Católica foi a primeira a se manifestar sobre o tema Deus e os ETs. "O Vaticano - talvez por ser extremamente bem informado - fez suas primeiras declarações no dia 18 de outubro de 1996, através de uma entrevista com o Padre Piero Coda, um dos mais importantes teólogos do Vaticano". Assevera a Revista que "os astrônomos do Observatório do Vaticano mostraram-se contentes com a possibilidade de vida fora da Terra. A propósito, o jesuíta Guy Consulmagno, especialista em meteoros, chegou a dizer: "Encontrar vida em outros planetas é uma prova de que Deus não é limitado pela nossa imaginação". Sobre o tema, o porta-voz da Arquidiocese de Nova York, Joe Zwilling, declarou: "Nós acreditamos que toda vida foi criada por Deus através da imensidão de sua Criação, a maravilha de sua obra. Isso não significa que a vida esteja limitada ao que vemos na Terra". Lawrence Schiffman, professor de estudos hebraicos judaicos, afirmou, em certa ocasião: "Um grande número de estudiosos do judaísmo medieval ainda discute a possibilidade de este não ser o único mundo criado por Deus".
Estas citações e outras muitas encontram-se na Revista UFO 48, de dezembro 1996, página 12. "Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima". É uma célebre frase de Pasteur. "Hoje em dia, exprime Luciano Álvaro da Cunha, não é mais preocupação da ciência provar ou não a existência de Deus. Tampouco interessa a ela a constante luta contra a Religião. A Ciência também não nega que o homem possua poderes em sua mente que ainda não foram devidamente explorados. Telepatia (v), telecinésia (v), clarividência (v) etc, são poderes já comprovados cientificamente. Contudo, para Cunha, há pseudo-ciências: Astrologia, Gnomos, Duendes, Fadas, Quiromancia, Tarot. "Tais ciências, também conhecidas como esotéricas, carecem de uma base científica que comprove seus resultados, pois aparentemente nada têm a ver com os supracitados poderes mentais do homem".

Disco voador - Véase Mahabarata. Deve-se a expressão "disco voador" a Kenneth Arnold, piloto da Força Aérea Americana quando, em 1947, se defrontou com um desses objectos voando na costa oeste dos Estados Unidos. O disco se caracteriza pela propriedade de cruzar imensas áreas de vácuos, fora das zonas de atração gravitacional de outros corpos celestes. Quanto à forma, conhecem-se principalmente o modelo charuto e o modelo disco propriamente dito. Os charutos "conseguem voar muito bem sem a necessidade da superfície dos discos, mesmo que aparentemente sempre na direção de eixo longitudinal. Enquanto que os discos parecem possuir uma manobralidade muito maior, igualada pelas naves esféricas, devido à sua massa concentrada e sua inércia rotacional, mas sem a grande área superficial dos discos". (Michael George MAUNSELL, "Uma olhada técnica nos UFOs", UFO N. 47, nov. 1996, págs. 8-9). Segundo a Equipe UFO Especial, "já foram observadas centenas de formas diferentes, mais de 3 milhões em todo o mundo. Existem registros de OVNIs movimentando-se em nossa atmosfera a mais de 40 mil Km por hora ou fazendo curvas de 30 graus a enorme velocidade. Entre as manobras mais ousadas, está sua capacidade de estacionar no ar e voltar à velocidade original - de muitos milhares de Km por hora - em frações de segundos". (UFO Especial 14, set. 1996:08).
Há referências bíblicas ao disco voador. Ambos os Testamentos - o Antigo e o Novo - contêm significativos dados a respeito. Para Marco Antonio Petit, uma das passagens bíblicas mais interessantes é, sem dúvida, a relacionada à Estrela de Belém. "Pois, de acordo com o texto bíblico, este objecto foi inicialmente observado em movimento, para em seguida pairar sobre o ponto onde Jesus havia acabado de nascer". No versículo 9 do segundo capítulo de Mateus, prossegue Petit, lê-se que "depois de ouvirem o Rei, partiram e eis que a estrela que viram no ocidente os precedia, até que chegando parou sobre onde estava o menino". Acrescenta PETIT que "o filólogo soviético Viaceslav Zaitzev faz referência a um texto apócrifo escrito no século III, intitulado Narração dos Três Magos". E que na versão bielo-russa do texto lê-se que "um dia inteiro, sem perturbar o ar, pendeu a estrela sobre o Monte Wans; e que a própria vestimenta do anjo se enquadra perfeitamente nas descrições relacionadas a vários contactos com extraterrestres". A esse respeito, os versículos 4 e 6 do capítulo 24 do Evangelho de Lucas citam: "Apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes". Prosseguindo Petit em seus incansáveis registros, dá-se conta de que no quadro da crucificação de Cristo são vistos dois objectos voadores e que, dentro de um deles, percebe-se o Messias. (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996).
Uma descrição comum é a do cidadão Toledo Andriotti e sua irmã Francine. O fenómeno aconteceu no interior de São Paulo, na madrugada do dia 20 de janeiro de 1995, quando eles observaram o aparecimento de um OVNI a cerca de 5 Km de sua casa. "Era de formato arredondado, tinha a coloração levemente amarelada, sua luz era forte e não piscava. O objecto silencioso cruzou velozmente o céu de oeste para leste". (BOAVENTURA, Edison, "Nova onda ufológica no interior de São Paulo", UFO 38, jun. 1995:21). Hoje em dia, os testemunhos abundam às centenas: "Ademar de Barros, ao se levantar para o trabalho assustou-se quando abriu o portão de sua casa e viu um OVNI". Era um objecto esférico "com um círculo amarelo ao redor e de cor alaranjada, fazendo movimentos irregulares sem emitir som algum". (BOAVENTURA Júnior, ibdem).
Outros casos: aterrissagem de OVNI no interior de São Paulo e na Fazenda Areia Branca, distrito de Ipiguá, município de São José do Rio Preto, São Paulo, registrados pormenorizadamente pelos ufólogos Eduardo e Osvaldo Mondini (UFO 47, nov. 1996:27).
"UFOs invadem Brasília". A região onde está localizada a represa Paranoá, em Brasília, palco de outros acontecimentos relativos à aparição de OVNIs, foi novamente alvo de um episódio da mesma natureza, só que desta vez envolvendo não só os empresários Hildo de Oliveira, Agamenon Nascimento e Antonio Rodrigues Cassimiro, como também cerca de 20 policiais militares". (BECK, Roberto Affonso, "Disco Voador persegue carro", UFO 47, nov. 1996:31). E mais: (Wilson Geraldo de Oliveira, "Universidade de Brasília investiga o fenómeno", UFO 47, nov. 1996:33); (PATOUNAS, Eustáquio Andrea, "UFOs e misticismo na Chapada dos Veadeiros", UFO 47, nov. 1996:37).
Enquanto isso, ocorria a maior visita massiva de discos voadores no Brasil. Foi em São José dos Campos, maio de 1986, durante o Governo Sarney. Pela primeira vez, alguém de alta patente - o Ministro Octávio Moreira Lima - tomou a iniciativa de informar o povo brasileiro, embora sem maiores pormenores. Posteriormente, o ufólogo Marco Antonio Petit escreveu um longo informe sobre o acontecimento, mais tarde publicado em UFO 49 de fevereiro de 1997. "O espaço aéreo brasileiro esteve praticamente tomado por 21 objectos não identificados através dos radares dos centros controladores de tráfego aéreo". O brigadeiro Moreira Lima advertiu estar convencido "de que dentro das próximas décadas haverá um contacto entre nossa Humanidade e alguma civilização extraterrestre".
Apesar destas provas há uma corrente de pensamento, com base psicológica e sociológica, que defende a idéia de que "os encontros com humanóides derivam de relatos previamente codificados da ficção científica". Noutras palavras, "os OVNIs e seus tripulantes habitam ficções literárias escritas entre duas e quatro décadas antes da invasão de junho de 1947". A informação é de Alejandro Agostinelli ("A busca da humanidade por extraterrestres", UFO 49, fev. 1997: 18-21).

E

EBEs - Sigla de Entidades biológicas extraterrestres. Exemplo: os ETs de Varginha (v). "Sabemos que os seres capturados em Varginha são do tipo delta, espécie de macaco extraterrestre, bem mais desenvolvido que nossos macacos. São treinados pelos seres do tipo alfa e beta para realizarem missões específicas", afirmou o ufólogo Claudeir Covo. É a barbárie inata do Homem saudando seus irmãos do Espaço. Será que a nossa violência congênita não sabe se render aos EBEs? E as lições de Cristo, como ficam? (UFO 45, ago. 1996:25).

Engenharia genética - Crê Vince Johnson que "um grande projeto planetário de engenharia genética está em andamento". (Ver Eugenia).

Enoque - Ver alienígenas espirituais. O Profeta Enoque previu que "a raça santa descerá das estrelas nas nuvens luminosas". O ufologista Marco Antonio Petit se pergunta se estarão cumprindo a promessa feita aos nossos antepassados? Conclui que "o retorno dos nossos deuses (os ETs) será uma realidade". (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996:13).
Eras históricas da Ovniologia - Em 1947, ou seja, há 50 anos, deu-se início à chamada Era Moderna da Ovniologia, caracterizada por suas características científicas. A expressão foi criada por Arnold Kenneth. Sinônimo: Ovniologia Moderna, segundo João Marcelo Carvalho. Sobre Era Moderna da Ovniologia, leia-se Rodrigo Marques da Rocha, "A Ovniologia deve ser mais Comparativa", UFO 43, Abril 1996, pág. 08.
"O fenómeno é cada vez mais evidente. O número de avistamentos e casos OVNIlógicos ocorridos ao longo desses 49 anos de Ovniologia Moderna são espantosos, constituindo a maior prova de que estamos sendo visitados por seres extraterrestres, mais inteligentes e evoluídos do que nós, tanto espiritualmente quanto tecnologicamente". (CARVALHO, João Marcelo, "As perspectivas para a Ovniologia em 1996", UFO 43, abr. 1996:09).

Esoterismo - Doutrina ou atitude de espírito que preconiza que o ensinamento da verdade (científica, filosófica ou religiosa) deve se reserva a número restrito de iniciados, escolhidos por sua inteligência ou valor moral. Ocultismo (v).

Espiritismo - "Doutrina baseada na crença da sobrevivência da alma e da existência de comunicação, por meio da mediunidade (v), entre vivos e mortos, entre espíritos encarnados e desencarnados". (HOLANDA, Aurélio Buarque de, "Dicionário da Língua Portuguesa"). Ver Deus.

Espiritualismo e OVNIs - O doutor J. A. Hynek, ao deixar de prestar seus serviços de espionagem ao Projeto Blue Book, da Força Aérea Americana (USAF), "tornou-se um pesquisador sério e competente, lançando as bases para a pesquisa científica aos OVNIs", segundo Alberto Romero. Romero acrescenta que no final de seus dias, o Dr. Hynek "já encarava de frente a possibilidade da alternativa paranormal, espiritualista ou mística para explicar os OVNIs". (ROMERO, Alberto, "Hostilidade aos ETs", UFO 38, jun. 1995). A Ovniologia Espiritualista adquire e divulga conhecimentos sobre profecias e contactos com extraterrestres no plano físico ou mental. As mensagens extraterrestres são recebidas no GER (Grupo de Estudos Ramatis, fundada em 1981), presidido por Margarida Pinho Carpes. (UFO 49, 1995:39).

Estatísticas - Credibilidade dos OVNIs. "Cerca de 48% da população norte-americana acreditam nos OVNIs, de acordo com pesquisa do semanário Newsweek" em 1996. (UFO 46, out. 1996:11).

ETs - Extraterrestres. Também ETs Alfa-cinzentos. (UFO 40, out. 1995:30).

Eugenia - "Criação seletiva para fortalecer certos traços genéticos", na definição de Vince Johnson. "Tem sido praticada por fazendeiros e rancheiros". Adverte Johnson: "Entretanto, quando se trata da espécie humana, é evitada, pois é geralmente comparada com as atrocidades dos campos de extermínio nazistas". Crê Johnson que em se tratando de um considerável número de abduções (até 2% da população), poder-se-ia concluir que "um grande projeto planetário de engenharia genética está em andamento em algum lugar ou época. Se esses seres são viajantes do futuro, isto poderia explicar sua necessidade aparente de se manterem em segredo. (JOHNSON, Vince, "Viajantes no tempo", UFO Especial 14, set. 1996:14).

Exobiologia - Ciência que estuda a possibilidade de vida fora da Terra. (SILVA JR., João Fernandes, "Exobiologia: um passo decisivo ao futuro", UFO 44, 1996). É conhecido o Centro de Estudos e Pesquisas Exológicas (CEPEX), ao qual pertencem Eduardo e Osvaldo Mondini (UFO 38, jun. 1995).

F

Faculdade de Ufologia (Ovniologia) - Órgão de caráter oficial, dedicado à institucionalização da aprendizagem ufológica, com vistas a formar profissionais do ramo. O termo é nosso num artigo inédito sobre a criação da cátedra universitária de Ovniologia.

Farsa - Ver rapto. Infelizmente, a mentira fabricada pelos marketeiros (profissionais de marketing) com o propósito de ganhar fortuna às custas da boa fé do ouvinte e do leitor difundem suas fantasias faturando consideráveis somas. Tais acontecimentos constituem casos de polícia e os seus divulgadores de má fé deveriam responder processo pelos danos causados à ciência. Estamos vivendo uma época em que o real e o imaginário se entrelaçam com as narrações orais do povo desejoso de obter uma resposta às inúmeras dúvidas de quantos, de boa fé, aguardam uma orientação precisa sobre os cruciantes mistérios deste final de século. Cuidado, leitor, com os conhecidos desenhos de ETs, Chupacabras (v) e similares. (PERALTA, "Caso Varginha foi uma farsa?", UFO 48, dez. 1996:08) ou (KRASPEDON, "Uma nova civilização governada por mulheres", UFO 48, dez. 1996:08).

Folclore extraterrestre - Sinônimo de Ovniologia Folclórica. Matéria do Folclore Interdisciplinar, que estuda as relações entre a Ciência do Folclore e a Ovniologia. Certos factos folclóricos, sob a ótica do Folclore Extraterrestre deixam de ser considerados como simples efeitos da imaginação popular para se tornar expressões concretas da existência de seres do espaço. Deste modo, adquirem novas dimensões os mitos (v) de pavor, os das águas e os do fogo, três elementos OVNIlógicos constantes. Para o Folclore Extraterrestre, os humildes informantes de folclore não são indivíduos que mentem, porém pessoas que por séculos nos têm prestado seu testemunho de sucessos, que nem eles (como transmissores) nem nós próprios (como pesquisadores) tínhamos tido condições de entender.
Para efeito de estudo, classificamos a matéria do Folclore Extraterrestre em cinco grandes partes. Noutras palavras, densos capítulos, a saber: os caminhos, as bases, os atos, os perfis, e as marcas; além da introdução e de um complemento metodológico, versando os seguintes temas, entre outros: folclore como testemunho, folclore do dilúvio, realidade e fantasia, tempo verbal, método inspirado, o mito do fim do mundo, os carros dos deuses no folclore, testemunhos OVNIlógicos do Folclore Extraterrestre, provas arqueológicas do Folclore Extraterrestre, taxinomia ufológico-folclórica, Ovniologia Espírita, Folclore Extraterrestre Espírita, o disco voador segundo a Bíblia, nominação jesuítica e popular, pavor místico e pavor ufológico, as variantes no Folclore Espacial, folclore e invenção de folclore, comunicação incomunicada, lista de factos OVNIlógicos e motivos tradicionais. (CARVALHO-NETO, Paulo de, "O Povo do espaço", CBPDV, 1997). Antonio Faleiro escreveu um sugestivo e indispensável estudo sobre a manifestação de OVNIs no Folclore Brasileiro, enriquecendo-o com numerosos exemplos tradicionais. (UFO Especial 12, maio 1996:6-18).
Outros exemplos: a Mãe d'Ouro, segundo registro de Gilberto de Godoy Cordeiro, no litoral de São Paulo. (GODOY CORDEIRO, Gilberto de, "ETs agitam também o litoral paulista". UFO 38, jun. 1995:35).

Folk-memory - Muitos ufologistas, Lewis Spence entre outros, usam como elemento de trabalho a "memória-folclórica", conceituada no sentido junguiano, ou seja, aquela da recordação herdada, enquanto alguns recorrem à tradição oral sem se preocuparem com sua dimensão junguiana. Don C. Donderi filiou-se à mesma corrente dos inspirados. Segundo ele, a maioria dos cientistas "não são inovadores, mas sim solucionadores de problemas". A Ovniologia "não se enquadra em nenhum paradigma científico aceitável entre os já conhecidos". (DONDERI, 1979).

G

Geografia ufológica - Deixamos claro em nossa introdução a este dicionário que nosso principal objetivo foi formular o conceito dos termos de uso corrente do principal vocabulário ufológico. Destarte, estendemo-nos sobre abduções, acobertamento, alienígenas espirituais, captura de naves etc. Entre tais vocábulos, incluo aqui o que denomino Geografia Ufológica. São apenas rápidas referências bibliográficas de caráter geográfico, tendo por finalidade adicionar ao vocabulário mais informações motivadoras sobre alguns Estados: Cuiabá: UFO 49, fev. 1997:41; Bahia: UFO 49, fev. 1997:36-37,40; Minas Gerais (Varginha): UFO 49, fev. 1997:38.

Greys - O mesmo que ETs alfa-cinzentos. Em anotação de Gevaerd, os Cinza são "raptores que geralmente pegam suas vítimas enquanto dormem". (GEVAERD, "Descoberto filme que mostra autopsias de ETs", UFO 38, jun. 1995). Em outra descrição complementar, "Os greys são seres de pele cinza, baixa estatura e membros frágeis, que apresentam cabeças desproporcionalmente grandes e olhos negros. Eles são descritos, na maioria das vezes, como tendo somente três ou quatro dedos em suas mãos" (PETIT, 1996).

H

Hibridação de espécies - O tema tem sido explorado pelo cinema, mostrando a vida de pessoas indefesas que, de uma hora para outra, descobrem ser parte de um plano de hibridação de espécies. (UFO Especial 07, jul. 1995:17).

Híbridos - "Seres criados artificialmente pelos alfa-cinzentos, considerados nefastos. Tais híbridos são criados a partir de fetos roubados e retirados de mães humanas" (UFO 40, out. 1995).

Hipnose - Contatados costumam ser submetidos à hipnose regressiva e, somente nesse estado, relatam o ocorrido. Jocelino Mattos, hipnotizado, narrou com detalhe como foi conduzido para o interior de um disco, onde foi examinado por uma equipe médica. "Colheram amostras de meu sangue, cabelos e demais tecidos. Extraíram meu sêmen. Depois de alguns minutos, uma mulher chegou na sala... tocou-me, acariciou e excitou... e nós começamos a fazer amor. Quando paramos, ela disse que 'a semente viverá'. Eu não entendi. Telepaticamente, eles me disseram que vinham em paz, que seu objetivo era estudar e entender a Terra". (GEVAERD, 1996).
A psicóloga Gilda Moura, em seu livro "Transformadores de Consciência" afirma que alguns abduzidos só conseguem recordar o que aconteceu através do processo de regressão hipnótica ou de outros estados alterados de consciência (UFO 46, out. 1996:34). Mas nem sempre a regressão hipnótica tem pleno êxito. No final de seu artigo sobre Disco Voadores, Petit relata o exemplo de Betty Andreasson quando, por algumas vezes, o processo regressivo não foi alcançado. (PETIT, "Discos Voadores", UFO Especial 15, nov. 1996:13).

História da Ovniologia no Brasil - De acordo com o ufólogo Buhler, o primeiro período de pesquisa ufológica estendeu-se no Brasil em meados dos anos 50 até os anos 80.

Hitler - Durante a Segunda Grande Guerra Mundial, os OVNIs perseguiram os aviões das nações envolvidas no conflito. Os nazistas desfrutaram de algumas vantagens sobre os aliados, pois já os conheciam de épocas pretéritas. Sabe-se que Hitler foi o primeiro líder mundial a encarar seriamente a possibilidade de civilizações extraterrestres estarem tentando nos ajudar com suas vidas. (MEDEIROS, Pedro Raul Mercado de, "A Grande Guerra Mística", UFO 38, jun. 1995).

Homem de preto - Sob uma interpretação direta, é simplesmente a imagem de um homem de mão peluda, visto em várias regiões do país. Sob a visão ufológica, ele passa a corresponder às descrições atuais de um tipo de visitante espacial.

I

Implantes - É um dos temas centrais da Ovniologia (v). J. J. Benítez concorda que "pode haver milhares de pessoas que teriam sido utilizados pelos ETs para o que quer que seja". Porém sem implantes. "Os implantes são de tecnologia humana, pois os extraterrestres não necessitam colocar implantes no cérebro de suas vítimas, ou em seus corpos". (GEVAERD, "J. J. Benítez, Um ufólogo que contesta até a própria igreja", UFO 47, nov. 1996). As opiniões diferem. O sr. Alfredo, um abduzidos no Pará, relembrou a um pesquisador um ferro contendo uma bolinha. Disse que os seres extraterrestres o haviam introduzido como meio de não o perderem. Seria uma espécie de rastreador (UFO 47, nov. 1996:24). Ver também monitoramento da vida de terrenos.

Informação/Desinformação - Prática inconstitucional de acobertamento (v) ecológico. Infelizmente, subjacente à informação, há uma política macabra de espionagem governamental dedicada a encobrir factos e opiniões referentes à Ovniologia em sua totalidade. Jacques Vallée em seu livro "Forbidden Science" (Ciência Proibida) denuncia essa prática nociva contra o conhecimento e a formação do homem, em suma, contra a verdade. A Revista UFO divulga essa conspiração ao revelar que a Força Aérea Norte-Americana começou a estudar os OVNIs a partir de 1942. Em 1967, Jacques Vallée e Allen Hynek denunciam essa manobra "para surpresa da comunidade ufológica internacional" (UFO 47, 1996:39).

Inteligência OVNI - De acordo com o jornalista Eduardo Castor Borgonovi, da Agência Estado. "Os astrônomos do Observatório do Vaticano mostraram-se contentes com a possibilidade de vida fora da Terra. Tanto que o jesuíta Guy Consulmagno, especialista em meteoros, chegou a dizer: "Encontrar vida em outros planetas é uma prova de que Deus não é limitado pela nossa imaginação. À medida em que aumenta nosso conhecimento sobre a Criação, nosso conhecimento sobre Deus fica maior". Concomitantemente, o porta-voz da Arquidiocese de Nova York, Joe Zwilling, declarou: "Nós acreditamos que toda vida foi criada por Deus através da imensidão de sua criação, a maravilha de sua obra. Isso não significa que a vida esteja limitada ao que vemos na Terra". E o professor de estudos hebraicos e judaicos Lawrence Schiffman, da Universidade de Nova York, afirmou, na mesma ocasião, que um grande número de estudiosos do judaísmo medieval ainda discute a possibilidade de este não ser o único mundo criado por Deus: "sobre a obra de Deus, há uma passagem que narra que Ele trabalhou com 18 mil mundos". A conclusão de Borgonovi é que "definitivamente, não somos o único mundo habitável e nosso trabalho é fazer deste um mundo melhor". (BORGONOVI, Eduardo Castor, UFO 48, dez. 1996:12).

interferometria - Técnica de observação espacial que permite a detecção de planetas fora de nosso sistema. Em outubro de 1995, pela primeira vez, astrônomos suíços detectaram um planeta fora do Sistema Solar. Depois, cientistas norte-americanos descobriram outros dois. "A NASA acredita que ETs existem" (UFO 45, ago. 1996:10).

Intervenção - "Quando uma pessoa é abduzida em sua cama, à noite, e retorna inconsciente, dizemos que ocorreu uma intervenção" (JOHNSON, Vince, "Viajantes no tempo", UFO Especial 14, set. 1996:14).

J

Janelas - Sinônimo de áreas de incidência (v).

Jesus - Ver Bíblia, Deus, Espiritualismo. No capítulo 28 do livro de São Mateus, tanto João como Lucas falam dos anjos que usavam roupas brilhantes e da ascensão de Jesus aos céus. No caso da ressurreição de Jesus, o anjo vestia um tipo de roupa muito colante e brilhosa. A menos que seja uma grande mentira - de acordo com Oswaldo Cardoso - a ascensão confirma a verdadeira identidade de Jesus, ou seja, ele também era um extraterrestre". Noutras palavras, Jesus Cristo não teria subido aos céus da forma que muitos intérpretes afirmam. "Sabemos que o universo é infinito, por isso ele teria sido transportado em corpo físico por um disco voador. Assim sendo, Cristo não teria morrido. Naquela ocasião teria sido mesmo é abduzido". Segundo a Bíblia, alienígenas visitaram a terra no passado (CARDOSO, Oswaldo, UFO Especial 15, nov. 1996:14). Para J. J. Benítez, Jesus Cristo é um grande extraterrestre, o único de que temos certeza histórica. "Ele é um filho de Deus como todos nós, com a diferença de que é um dos grandes filhos Dele". (UFO Especial 15, nov.1996).

K

Kraspedon - Dino Kraspedon, pseudônimo de Oswaldo Pedrosa. Ufologista contatado por extraterrestres na década de 50. Sobre o episódio, escreveu o livro "Contacto com os Discos Voadores". É presidente do Centro de Pesquisas Ufológicas Dino Kraspedon, em Uberaba (MG). Dado o tema e a popularidade de sua obra, os exemplares foram confiscados e o autor foi detido sob a acusação de comunista. No contacto de Kraspedon com o comandante do disco voador, foram dadas informações sobre a vida terrestre, Deus, energia, gravidade, antimatéria, e astronavegação. O Comandante - um homem alto e vestido de preto - transmitiu a ele a seguinte mensagem: "Irmãos, não tenham receio. Não é preciso ter medo nenhum, porque nós somos amigos de vocês. Aqui estamos, na terra, para ajudá-los. Sabemos que vocês vão para São Paulo. Podem ir, graças a Deus, que nada vai lhes acontecer". (NAVES, Danielle, "Dino Kraspedon", UFO 46, out. 1996;12).

L

Lendas do Folclore Extraterrestre - Ver Folclore Extraterrestre. A casuística folclórica extraterrestre cresce dia a dia. Como exemplo temos a oração das estrelas, a lenda irlandesa do povo de Cloera, a lenda hindu sobre os Vimanas, a lenda boliviana da Grande Mãe da Terra e tantos outros que sintetizamos em nosso estudo "O Folclore como testemunho de Seres Extraterrestres". (CARVALHO-NETO, 1996).

Linha Bavic - A linha Bavic é um corredor imaginário descoberto em 1954 por Aimé Michel ao constatar que, durante ondas ufológicas, os discos voadores concentravam novas aparições entre as cidades francesas de Bayonne e Vichy (de onde vem a Sigla Bavic). Se estendida ao redor do mundo, a linha cortaria o Brasil entrando ao norte de Fortaleza (CE) e saindo ao sul de Mato Grosso do Sul, pela cidade de Ponta Porã.

Luz - Os corpos se repelem pela luz. Segundo a teoria dos ETs, todos os planetas serão afastados de suas órbitas (UFO 40, out. 1995:37).

Luz disparada - Na casuística ufológica dos raptos (v) é comum ver-se um raio que vem de cima, conforme declarações das vítimas e testemunhas. "No caso de João, a luz foi tão forte que ele teve que proteger os olhos e toda a face com as mãos. Foi tamanha a pressão exercida, que o agricultor não conseguiu manter-se em pé e caiu ao solo por alguns instantes. Em momento algum, a vítima perdera a consciência. Repentinamente, o foco de luz apagou-se e João pôde levantar-se ainda atordoado, sem compreender o que havia acontecido. Desesperado e alucinado, começou a correr em direção à casa de sua irmã, sempre gritando e pedindo socorro". Todas as testemunhas, curiosas e assustadas, tentavam saber da vítima o que tinha acontecido. "João não apresentava sinais de ferimentos externos, embora estivesse profundamente agitado, com os olhos arregalados de terror e a voz alterada, implorando a todos que o socorressem". Quando perguntavam sobre o que estava sentindo, João respondia que não sabia, apenas que estava em pânico. O registro é do Grupo Ufológico do Guarujá (GUG), que deu prosseguimento à descrição dos efeitos de luz disparada, narrando como toda a pele da vítima se desprendeu de seu corpo. (GUG, "UFOs atacam paulistas com raios de luz paralisantes, UFO Especial 06, jan. 1997:24-27).

M

Mahabarata - Texto religioso hindu que descreve os OVNIs como vimanas (v) resplandecentes e traz relatos extraordinários destas naves em suas evoluções sobre os céus da Índia há nada menos do que quatro mil anos (GEVAERD, UFO Especial 15, nov. 1996:05). Os Vimanas eram veículos voadores parecidos com nossos helicópteros - segundo artigo de João Farias - e dotados de alta manobrabilidade. Podiam ficar suspensos no ar, voar ao redor do mundo ou atacar, descendo em pleno vôo vertical.
No Ramaiana, que é a segunda parte do Mahabarata, explica-se como construir um vimana: "O corpo deve ter a forma forte, resistente, e ser de material leve, devido à força inerente ao mercúrio, que põe em movimento o redemoinho propulsor. Dessa maneira, um homem pode vencer grandes distâncias no céu. Também é possível construir um vimana do tamanho de um templo para pôr o deus em movimento. É preciso embutir quatro receptáculos bem resistentes ao mercúrio que, ao serem aquecidos pelo fogo regulado, conferem ao vimana a força do trovão e o fazem subir ao céu, onde se parecerá com uma pérola no firmamento" (FARIAS, João, "Do Ocidente ao Oriente há registros de artefatos celestes", UFO Especial 15, nov. 1996:32).

Matriz de encontro - Para Alvin H. Lawson, o testemunho folclórico sobre ETs não começa na experiência do contacto e sim nas expressões verbais determinadas pelo facto de que tanto o Folclore quanto a impressão da visita ufológica se acham registradas na matriz de encontro do sujeito (LAWSON, 1979).

Médium - Segundo o espiritismo (v), é o intermediário entre os vivos e a alma dos mortos.

Mediunidade - Qualidade de médium (v).

Mensagens - Ainda não foi transmitida oficialmente à Terra uma declaração oficial dos ETs, de governo a governo. A senhora Maria Alice Elkman, uma sensitiva de 70 anos, que recebe em sua casa, interior de São Paulo, sensitivos de todo o Brasil, quando interrogada sobre as intenções dos seres que moram no interior das montanhas da Juréia, declara: "Eles pretendem instalar centrifugadores de ar para limpeza da atmosfera terrestre; querem que paremos com as experiências nucleares imediatamente". (GODOY, "ETs agitam também o litoral Paulista", UFO 38, jun. 1995).

Mensagens extraterrestres - Para Danielle Naves de Oliveira, o livro de Kraspedon, intitulado "Contacto com os Discos Voadores", é básico sobre o tema. Na opinião de Marco Antonio PETIT, é preciso que "a humanidade esteja preparada para o período de extraordinários acontecimentos em que a terra será palco". (PETIT, Marco Antonio, "Análise de contactos com extraterrestres no Brasil", UFO Especial 10, 1996).

Método inspirado - Inspirational method. No momento, consiste em oferecer aos cientistas liberais uma quantidade expressiva de dados OVNIlógicos, folclóricos e místicos. É sob a cooperação do método científico com o método inspirado que o Folclore Extraterrestre abre seu caminho. Assim procedeu o mitologista escocês Lewis Spence, em seus estudos sobre a Atlântida (DONDERI, 1979).
Monitoramento da vida de terráqueos - Sob hipnose, muitas vítimas revelaram ter sido abduzidas pela primeira vez durante a infância, tendo sido levadas a um lugar estranho - geralmente dentro de naves espaciais. Nesses locais, são colocadas sobre mesas descritas geralmente como metálicas e frias. Isso é parte de algum tipo de exame médico, quando instrumentos pontiagudos e cortantes são usados por estranhas criaturas para inserir pequenos aparelhos - chamados implantes (v) - em alguma parte de seus corpos. Muitas vezes, esses implantes são colocados nas narinas dos abduzidos; noutras vezes, em suas coxas e até em outras partes do corpo. Depois desse primeiro processo, os abduzidos passam a sofrer, regularmente, vários tipos de exames, o que se assemelha a um processo de monitoramento.
Com o tempo, os investigadores entenderam que o implante é um dispositivo próprio para dar aos extraterrestres a localização e identificação de sua vítima. Esse objecto inserido no corpo se movimenta, podendo se alojar em diferentes órgãos - algumas que até impossibilitam sua retirada, como no crânio. Alguns desses implantes, que já puderam ser retirados e analisados apresentavam forma semelhante a um chip ou transmissor, sendo compostos por materiais e tecnologias desconhecidas. Esses objectos estranhos podem ser descobertos no corpo das pessoas por meio de exames de raio X ou semelhantes. Às vezes, são descobertos muito tempo depois de terem sido implantados. A pessoa pode ter sido monitorada (e até mesmo abduzida) e ter bloqueado tão fortemente sua mente que nunca tenha se lembrado do facto.
Muito se tem estudado e conjeturado a respeito do processo de uma criança ser abduzida, marcada e ter, a partir daí, uma vida de contínuos contados. As estatísticas indicam também ser comum o procedimento de abdução de vários membros da mesma família, do pai ou mãe e seus filhos. As perguntas são muitas e as respostas nem tanto. Por exemplo, por que uma determinada família é escolhida para ser contatada e monitorada por seres extraterrestres? (KEPCZYNSKI, Ana C., "Uma análise crítica de Comunhão, à luz da Ovniologia", UFO Especial 07, jul. 1995:24-27).

Mutilação de seres humanos - Seres humanos também têm sido mutilados por ETs no Brasil, como nossos animais. Esta realidade foi denunciada pela ufóloga Encarnación Zapata Garcia, entre outros especialistas.

Mutilações - Ocorreram mutilações de animais em Jacupiranga: "Certa vez foram encontrados um porco, um carneiro e um cachorro cortados ao meio por instrumento desconhecido. Os animais estavam sem as vísceras e sem uma gota de sangue em seus corpos". (BOAVENTURA JR., Edison. "Nova onda ufológica no interior de São Paulo", UFO 38, jun. 1995:21). Também no Estado de Mato Grosso do Sul, dezenas de vacas e bois foram encontrados mutilados durante um período de poucos dias, todos sem as línguas e, em alguns casos, sem outros órgãos". Agregam os pesquisadores do CBPDV que este caso ocorreu no município de Camapuã, norte do Estado, mas que também existem registros semelhantes noutros pontos da região. "Há notícia, inclusive, de um mito denominado Arranca Línguas". (FALEIRO, Antonio, "A manifestação de UFOs no Folclore Brasileiro", UFO Especial 12, maio 1996:12).

N

NASA - Agência Espacial Norte-Americana. Desde 8 de Julho de 1947, os Estados Unidos rotulam como top secret a notícia de uma nave extraterrestre, assinando acordos de cooperação espacial com outros países no sentido de abafar a informação. (COVO, Claudeir, "Fim do acobertamento ufológico?", UFO 46, out. 1996).

Neotenia - "Cérebro altamente desenvolvido e, por isso, maior que o normal, e corpo atrofiado". Semelhante aos cérebros dos extraterrestres do tipo Alfa, os de cabeça grande e corpo de criança". (MELLO, Ademar Eugênio de, "O contacto final com nossos visitantes extraterrestres", UFO 11, 1990:26).

O

Ocultismo - Ciência dos fenómenos aparentemente não explicados pelas leis naturais como, por exemplo, a levitação (v) e a telepatia, as artes adivinhatórias ou ciências ocultas. Hermetismo (v), esoterismo (v).

OSNIs - Objectos submarinos não identificados. Vários ufólogos consideram que a ocorrência de OVNIs nos mares e rios é tão importante quanto nos céus, pois tudo indica que é sob as águas que essas naves se escondem, enquanto espreitam o nosso mundo. O grupo Ufológico de Guarujá afirma que há centenas de registros oficiais com observações de objectos submarinos não identificados (OSNIs) em todos os oceanos e mananciais do planeta. Hoje em dia, sabemos que os OSNIs e a interpretação dos mesmos pelo povo dá lugar ao folclore dos rios e lagos. Folclore que por tantíssimos anos alimentou a imaginação popular com mitos, lendas e casos. Em nosso livro "O Povo do Espaço" discorremos sobre o tema, amplamente.

P

Paleo-contacto - Estudo de contactos com ETs em tempos remotos, por nossos ancestrais.

Perfil físico dos ETs - "Osvaldo pegou uma lanterna e resolveu ir até o local para averiguar. Chegando lá, notou luzes verdes, amarelas e azuis. Ouviu um barulho vindo do mato, algo parecido com pessoas e uma espécie de voz como se alguém estivesse sussurrando. Viu dois seres pequenos, que mediam aproximadamente 1,20 m, tinham cabeça grande, olhos pretos, dois orifícios no lugar do nariz, boca sem lábios e orelhas sem lóbulos. Seus corpos eram brancos e os braços, compridos". O registro é do ufologista Edison Boaventura Júnior, em sua comunicação intitulada "Nova Onda Ufológica no Interior de São Paulo". (UFO 38, jun. 1995:21).
Tais retratos, porém, foram superados pelos registros mais recentes do ufologista Reginaldo de Athayde. Ele ouviu falar de seres quase impossíveis de se imaginar: baixos, gordos, cabeludos, altos, carecas, com um olho só, três dedos, ou até mesmo seis". Acrescenta: "Bonitinhos ou horripilantes, os desconhecidos seres gostam de atormentar os humanos, perseguindo agricultores apavorados". Entretanto, "outros extraterrestres engravidam mulheres e, antes do nono mês, voltam à Terra para retirar o bebê. Essas mulheres são dominadas e somente sob hipnose regressiva contam que foram inseminadas. Há também seres loiros, morenos, musculosos ou não, atraentes, com olhos penetrantes e sedutores, que encantam os pesquisadores terrestres e deixam os homens preocupados".
Robert Lazar também consultou relatórios de supostos extraterrestres, principalmente os do tipo alfa-cinzento, com cabeça grande e careca, olhos negros e braços longos. Algumas das fotos mostravam vários órgãos internos dos ETs sobre uma mesa, incluindo até crânios de cadáveres extraterrestres abertos para estudo", UFO Especial 09, nov. 1995:07). Para Lazar, os pequenos seres talvez fossem os pilotos de uma das naves extraterrestres na área S-4: "talvez pertencessem à espécie alfa-cinzento, cujo lugar de origem, segundo os documentos, é Reticulum 4, o quarto planeta em órbita ao redor da estrela Zeta Reticuli 2, uma das duas estrelas que formam o sistema estelar binário de Zeta Reticuli 1 e 2, na constelação de Rede ou Reticulum", contou Lazar. As duas estrelas do sistema são similares ao nosso sol e estão a 37 anos-luz da Terra. As estrelas Zeta Reticuli 1 e Zeta Reticuli 2 são consideradas pelos cientistas como as mais propícias para abrigar sistemas planetários como o nosso. Os papéis que foram entregues a Lazar durante suas visitas à área S-4 indicavam também que a humanidade era o produto de periódicas correções praticadas pelos extraterrestres - mais ou menos 65 correções ao longo de toda a História da Humanidade. (UFO Especial 09, nov. 1995:13).

Perfil psicológico dos ETs - "Do ponto de vista psicológico, podemos dividir os extraterrestres, inicialmente, em três grandes grupos: os amistosos, os negativos e os indiferentes" (PETIT, 1996). Tomando por base esta classificação tripartida, o CBPDV convocou ao 1º Encontro Nacional de Ufólogos aqueles especialistas desejosos de discutir o tema da aproximação pacífica de ETs à Terra. (UFO Especial 15, nov. 1996:35).

Perseguições - "Durante a noite de um 09 de dezembro, o caminhoneiro José Fernando Martins Pereira, juntamente com sua esposa e mais duas pessoas, vinham em caminhão em direção a Santa Izabel. Pouco tempo antes de passarem pela localidade de Pedro Carlos, a cerca de 7 Km de Conservatório, notaram que existia um aparelho esférico intensamente iluminado acompanhando o veículo. O OVNI mantinha-se do lado esquerdo, a uma distância estimada em cerca de 150 metros. O objecto emitia intensa luz branca e, em determinados momentos, dava a impressão de diminuir suas dimensões para, em seguida, crescer. Acompanhou o caminhão até o ponto mais alto da estrada que corta a Serra da Beleza, quando então ganhou distância e desapareceu. Tinha perseguido o veículo por mais de 6 Km". (PETIT, Marco Antonio, "ETs convivem com moradores do interior do Rio de Janeiro", UFO Especial 08, set. 1995: 26-30).

Projeção astral - Ver desdobramento.

Projeciologia - Ramo da Parapsicologia que estuda o efeito de desdobramento (v) ou projeção astral para obter contactos com entidades biológicas extraterrestres, as EBEs. (SILVA, João Fernandes da, UFO 44, jun. 1996:17).

Projeto Blue Book - Ver acobertamento e despistamento.

Projeto Filadélfia - "Há mais de meio século, os SS de Hitler conseguiram desintegrar seus corpos para se materializar em duplos psíquicos, numa cópia perfeita de si mesmos, dirigindo-se a outro plano de existência". (MEDEIROS, Pedro Raul Mercado de, "A Grande Guerra Mística", UFO 38, jun. 1995).

R

Rapto - Ver abdução, farsa, sequestro.

Regressão - Ver hipnose.

Religião - O que se deve tentar nova ligação. "Vem do latim religare. Significa ligar de novo aquilo que um dia, no passado, esteve ligado e se rompeu". (MELLO, Ademar Eugênio de, "O contacto final com nossos visitantes Extraterrestres", UFO 11, 1990:25). Segundo Robert Lazar, "é difícil aceitar de uma hora para outra que fomos feitos por meio de correções progressivas na evolução. É preciso haver evidências sólidas. E, nesse caso, a única evidência é que existe um documento extremamente secreto sobre religião, uma apostila muito grossa e ampla" conclui o cientista. "Não entendo por que motivo haveria documentos secretos sobre religião na S-4". Numa de suas entrevistas, Lazar declarou que "os extraterrestres nos encaram como seres armazenadores. Talvez armazenadores de alma, de força de vida. Supostamente, Jesus (v) e outros líderes espirituais foram geneticamente criados e implantados em gente da Terra, sento seus nascimentos monitorados bem de perto". (MARTIN, Jorge, "Extraordinárias revelações mostram o que o Governo dos Estados Unidos esconde ao mundo", UFO Especial 09, nov. 199).

Roswell - Ver captura de nave extraterrestre. Área onde caiu um disco voador (v). Registraram-se quedas de discos na Holanda e na União Soviética. A afirmação é de J. J. BENITEZ. A Revista UFO publicou numeroso material sobre Roswell, sobretudo entrevistas com ufologistas europeus, entre os quais, Michael Hesemann. (UFO 44, jun. 1996). Contudo, adverte Benítez, "o famoso filme da autópsia do ET de Roswell é uma intoxicação muito bem preparada, em que alguém ganhou muito dinheiro por ter feito em bom serviço de falsificação, provavelmente nos Estados Unidos". (BENITEZ, "Um ufólogo que contesta até a própria igreja", UFO 47, nov. 1996:16).
Finalmente, conste que Marco Antonio Petit conseguiu escrever um belo trabalho comparado sobre Roswell e Varginha (v), na revista UFO 45, de agosto de 1996. Impressiona tanto essa correlação de dados, que o leitor pode chegar à conclusão de que Varginha foi uma farsa. Poucas vezes na História um quadro-resumo de fenómenos mostra tantas similaridades entre ambos, que fica no ar a dúvida: Varginha é plágio de Roswell? Que pessoas ou grupos se mostram tão interessados em semear a confusão? E por quê? Coisas assim. Vai ver que por detrás delas correm rios de interesses ocultos para fins lucrativos.

S

SDI - Programa de Iniciativa da Defesa Estratégica, popularmente conhecido como Star Wars. Ver acobertamento.

Segredos - Ver ufoportos. Os segredos cósmicos começam a ser desvendados, em grande parte graças ao livro "Segredo Cósmico" de William F. Hamilton III. Segundo a ufóloga Irene Granchi, baseando-se na leitura dessa obra, "povos de tecnologia avançadíssima, estabelecendo-se em pequenas colônias subterrâneas na Terra, bem abaixo de bases militares norte-americanas, formam uma verdadeira missão conjunta EUA-Aliens. (GRANCHI, Irene. "O que o futuro nos reserva", UFO 38, jun. 1995:31).

Sequestro - Ver abdução.

SETI - Sigla de: "Busca por Inteligência Extraterrestre". Nome de um programa da NASA para que haja continuidade nos estudos sobre a vida alienígena na Terra. Recentemente, foram doados ao programa cinco milhões de dólares por algumas empresas de informática entre as quais Hewlett Packard. (MELLO, Ademar Eugênio. "O contacto final com nossos visitantes extraterrestres", UFO 11, ago. 1990:21-27).

SIOANI - Pesquisa Ufológica Oficial. Em 1969, um grupo de oficiais da FAB criou, através do 4º Comando Aéreo Regional (COMAR), no Bairro do Cambuci, em São Paulo, o primeiro órgão nacional e oficial para a pesquisa de factos OVNIlógicos: Sistema de Investigação de Objectos Aéreos Não Identificados (SIOANI), presidido pelo major brigadeiro José Vaz da Silva, na época, comandante do COMAR. Em março daquele mesmo ano, foi lançado o primeiro Boletim Informativo SIOANI que esboçava o estatuto e as diretrizes do organismo. Já o segundo boletim, editado em agosto, continha descrição e análises completas de centenas de casos de contactos em todos os graus. Em tal boletim, foram relatados 58 casos ocorridos somente no Estado de São Paulo.

Sondas ufológicas - Segundo Marco Antonio Petit, são pequenas esferas de 30 centímetros de diâmetro, aproximadamente. Estes objectos foram observados a olho nu, através de binóculo ou telescópio no início do ano de 1987 perto de Santa Isabel, RJ. Petit lembra que em 1984 "um garoto chegou a um metro de distância de uma sonda, que tinha o tamanho de uma bola de futebol e brilhava com uma luz amarela. De repente, ela começou a emitir estalidos e voou deixando uma esteira de fogo no seu curso". (PETIT, "ETs convivem com moradores do interior do Rio de Janeiro", UFO Especial 08, set. 1995).

SS433 - Nome de um certo planeta em nosso sistema solar. Segundo os extraterrestres, na previsão de Dino Kraspedon, "esse planeta está vindo de encontro à Terra e influi poderosamente sobre o comportamento das pessoas. Quando chegar à altura do sol, irá se incandescer e todos os planetas serão afastados de suas órbitas originais, sendo que nós, da Terra, que temos o ano composto de 365 dias, iremos para a órbita de Júpiter". Então, nosso ano passará a ter mais de mil dias". (KRASPEDON, Dino, "Contacto com o discos voadores", UFO 40, out. 1995:36).

Star wars - Ver acobertamento

T

Telecinésia - Em Parapsicologia (v) e Espiritismo (v), movimentação aparente de um objecto, produzida por um médium (v) sem ação mecânica. (Ver Deus, Telepatia).

Telepatia - Faculdade de pessoas que, sem fazerem uso do olho natural, vêem e conhecem o que se passa muito longe delas. Segundo Osvaldo Cardoso, "no livro de Jeremias temos a confirmação de que as comunicações verbais eram telepáticas". (CARDOSO, Osvaldo, "Segundo a Bíblia, alienígenas visitaram a Terra no passado", UFO Especial 15, 1996:07).

Teletransporte - Deslocamento de pessoas de um lugar a outro, dentro das viagens no tempo (v). Javier Sierra recorre à Bíblia para citar "casos de pessoas que desapareceram de um lugar e se vêem em locais extremamente distantes de onde se encontravam anteriormente". Isso é teletransporte. Em seu artigo "O fenómeno UFO e os casos de teletransporte", Sierra enriquece o tema com numerosos e valiosos exemplos. (SIERRA, Javier, UFO Especial 14, set. 1996:19). Segundo Michael D. Swords, "O universo mantém um conjunto completo de relações espaciais que existiram e existirão ao longo da linha temporal". Daí que se tenha sugerido duas diferentes categorias de viagem: via estado alterado da consciência e via física, com saídas e entradas para nosso espaço corrente. (SWORDS, Michael D. "Analisando a hipótese dos UFOs como viajantes do tempo", UFO Especial 14, set. 1996:8).

Temas centrais da Ovniologia - É importante considerar que a Equipe UFO assinalou três temas absolutamente atuais da Ovniologia mundial: 1) implantes (v); 2) monitoramento (v) da vida de terrenos; 3) inseminação de mulheres humanas. Abunda a casuística a respeito, disseminada por vários números da Revista UFO. (UFO Especial 07, jul. 1995:26-27).

Traços físicos e marcas - "O Senhor Yuri Osakou, fazendeiro aposentado de 62 anos, afirma que no dia 14 de setembro de 1996, foi sequestrado por extraterrestres na pacata cidade de Nazrat Elite. Segundo Isakov, estes seres aparentavam ter no máximo um metro de altura, com cabeça grande e sem nariz. Ele conta que os seres falavam entre si em um idioma incompreensível. Parecia um som de estática de rádio, informou o contatado. (...) Os policiais que estavam de plantão declararam que o fazendeiro chegou ao local com marcas de picadas de agulha atrás da orelha e em um braço, com o corpo todo coberto com um pó amarelo. (...) Análises preliminares do pó revelaram a presença de alumínio (55%), ferro, cálcio e potássio. Porém, não foi encontrado nenhum resquício de sílica, componente básico de toda a areia terrestre". (UFO 48, Seção Notícias, dez. 1996:11).

Triângulos Mortais - São determinadas zonas, batizadas por alguns como triângulos mortais, dos quais se conhecem o Triângulo das Bermudas, o Triângulo do Dragão e outros. (UFO Especial 07, 1995:22).

U

Ufologia ou Ovniologia - Origem no termo "Unidentified Flying Object" (Objecto Voador Não Identificado, OVNI). Termo superado porque os objectos (discos) vão se tornando cada vez mais identificáveis.

Ufologia/Ovniologia e paralisia - São vários os registros de lesões físicas nos humanos supostamente causados pelos extraterrestres. "Um caso impressionante ocorreu com o cesteiro Jorge Divino Pereira. Muito humilde e quase sem nenhuma instrução, o morador do Bairro dos Motas, em Aparecida (SP), experimentou na madrugada de 1º de setembro de 1995 um facto incrível. Jorge foi puxado por uma força descomunal vinda de duas esferas luminosas que se encontravam no quintal de sua casa. - Elas tremiam. Não dava para olhar, pois o clarão era muito forte e doía a vista -, relembrou a vítima. Jorge informou-nos que estava dormindo quando escutou os cachorros latirem. Ao se levantar, percebeu uma intensa luminosidade clareando a frente de sua residência. Ao sair, os cães fugiram e Jorge topou com duas bolas luminosas. Caminhou em direção às luzes com uma tocha de querosene. Tanto o querosene, quanto o próprio Jorge foram sugados por um foco de luz petrificante. A vítima flutuou à altura de aproximadamente 1,5 m, percorrendo uma distância de 50 m. Enquanto se encontrava envolto ao feixe de luz, não conseguiu gritar e desmaiou. Ao acordar, percebeu que havia transcorrido cerca de cinco horas. Seus braços e suas pernas estavam imóveis e com uma sensação de torpor. Então, rastejou até sua cama e não conseguiu levantar por dois dias. Nos dias seguintes, Jorge teve dor de cabeça, insônia, vômito e seus olhos ainda estavam irritados e inchados. Recentemente, passou por uma hipnose regressiva, mas não acrescentou muitos factos novos. Posteriormente, ele será encaminhado a São Paulo, para se submeter a uma nova seção de hipnose, com o acompanhamento do Instituto Nacional de Estudos de Fenómenos Aeroespaciais (INFA), de São Paulo". ("UFOs pousam e sequestram em todo o Estado de São Paulo", UFO Especial 16, jan. 1997:21).

Ufologia/Ovniologia científica - Ver Ovniologia mística. "Vê os factos pelo lado da documentação e obtenção de provas, procurando analisar o Fenómeno OVNI de forma mais empírica". ("Congresso em Curitiba agita Ovniologia", UFO 46, ago. 1996:30-32).

Ufologia/Ovniologia jurídica - Nas letras extraterrestres, científicas ou de ficção, volta e meia surge à tona a questão da Ovniologia Jurídica, como assim a denomino. Leiamos algumas imprecações de Claudeir Covo, esperançado em ver reinar a paz nos encontros entre aliens e terrestres. Paz tantas vezes frustrada pelos impulsos bélicos do homem dando lugar a assassinatos a sangue frio. Como ser humano, custa-me lembrar esses factos. Passo a palavra a Claudeir: "Há muitos outros casos para narrar, envolvendo disparos de armas de fogo contra ETs e situação afins. Porém, ficam algumas perguntas no ar: que direito os seres humanos, civis ou militares, teriam para assassinar seres terrestres? O que é previsto pela Constituição Brasileira? O que é prescrito pelas leis dos outros países? Pelo lado religioso, o que diz a Lei Divina, ou os Dez Mandamentos? Ora, foi escrito que 'não matarás'. Tal mandamento se refere a seres humanos, simples mortais do planeta Terra? Aos animais? Os seres extraterrestres não fazem parte da criação divina? Certamente que sim. O problema não é só jurídico: é social e religioso também". (COVO, Claudeir, "Assassinato de Extraterrestre: com que direito?", UFO 45, 1996:25-26).
Resta a uma comissão interplanetária estabelecer as bases éticas do bom entendimento entre os humanos e os visitantes. Para tanto, integrarão a dita comissão juristas, filósofos, astrônomos, militares esclarecidos, religiosos, além de ufólogos, naturalmente. Comissão esta que não deve esperar que venha a ser muito tarde. Caso contrário, dos conflitos de hoje passaremos à hecatombe do amanhã. Da guerra das estrelas, desembocaremos no holocausto da Humanidade, sem volta atrás.

Ufologia/Ovniologia Mística - Ver Ufologia Científica. "A Ovniologia Mística tem uma maneira diversa de abordar a questão ufológica em relação à Ovniologia Científica. A primeira corrente visa compreender o que somos e de onde viemos, explicando que as fases do pensamento humano são também fases de evolução do raciocínio do próprio indivíduo". ("Congresso em Curitiba agita Ovniologia", UFO 45, ago. 1996:30-32).

Ufonautas - Nome dado aos tripulantes dos OVNIs.

Ufoportos - Ver segredos. Lugares de pouso dos OVNIs. "Poderemos, em breve, assistir à criação de novos ufoportos - pois já existem vários e neles observamos não somente a presença de discos voadores terrestres, como a aterrissagem de algum alienígena". (GRANCHI, Irene, "O que o futuro nos reserva", UFO 38, jun. 1995:31). Nesse artigo, Irene faz uma preciosa resenha da obra de William Hamilton III, "Segredo Cósmico", Editora Educare, Brasil, 1995.

USOs - "OVNIs na água, também chamados OSNIs, são objectos submarinos não identificados". (KEPCZYNSKI, Ana Cecília, UFO Especial 07, 1995:22).

V

Varginha - Ver EBEs, "Captura de nave extraterrestre e também farsa. Na localidade de Varginha, Minas Gerais, no dia 20 de Janeiro de 1996, foi visto um ser, que recebeu o nome de ET de Varginha. Na ocasião, foi descrito como uma "estranha criatura humanóide de pele ou veste marrom, três saliências na cabeça, grandes olhos vermelhos e corpo franzino". A captura ocorreu no dia 22 de Janeiro, e foi levada a cabo pelos bombeiros. O caso foi considerado um divisor de águas entre o passado da Ovniologia, teórico e hipotético, e o presente, com seus externos e sedutores registros. A Revista UFO Especial 13, de julho de 1996, registra o pavor da primeira semana da grande novidade, a cidade de Varginha usufruindo das emoções da fama, os ufólogos em discussão sobre a veracidade dos factos. Por trás, os nomes de Marco A. Petit, Walt Andrus, Claudeir Covo, Edison Boaventura Júnior, Ubirajara Franco Rodrigues, Vitório Pacaccini, A. J. Gevaerd e tantos outros estudiosos citados neste dicionário. Consulte-se também Ivan de Carvalho, "ET e a Imprensa". (UFO 45, ago. 1996:08).

Viagens no tempo - Ver teletransporte. Alguns exemplos de viagens no tempo são patentes. "Um deles, o do cabo chileno Valdez, é uma mostra de que, dentro da nave, um humano terrestre tem a sensação de viver vários dias em alguns minutos. Valdez foi abduzido por um OVNI bem à frente de sua tropa, sumindo por completo em meio a um facho de luz que vinha da nave. Seus soldados o procuraram por todas as partes, mas não o encontraram. No entanto, cerca de 20 minutos depois, o cabo era devolvido pela mesma luz. O mais surpreendente é que tinha barba no rosto que aparentava ser de pelo menos três ou quatro dias. Ou seja: enquanto passou menos de uma hora (terrestre) dentro do OVNI, para seu metabolismo foram vários dias". O dado é de A. J. Gevaerd, que não deixou de acrescentar um exemplo oposto, o de um raptado que permaneceu desaparecido por quase uma semana e que, ao reaparecer, dava a impressão de que "não se teriam passado mais do que algumas horas entre seu desaparecimento e sua devolução pelos ETs". Em ambos os casos, conclui Gevaerd, "ficou notório que o tempo, como o conhecemos, funciona diferentemente para nós e nossos visitantes". (GEVAERD, "UFOs como Visitantes do Tempo", UFO Especial 14, set. 1996:05).

Vimanas - Ver Mahabarata.

Violência - Especificamente sobre a violência nos contactos, lê-se na Seção Notícias de UFO 48, de dezembro 1996, que um fazendeiro aposentado de 62 anos, afirma que no dia 14 de setembro de 1996 foi sequestrado por extraterrestres, na pacata cidade de Nazrat Elite (...). Estes seres aparentavam ter no máximo um metro de altura, com cabeça grande e sem nariz. Ele conta que os seres falavam entre si em um idioma incompreensível. Parecia um som de estática de rádio", informou o contatado. Os policiais que estavam de plantão declararam que o fazendeiro chegou ao local com marcas de picadas de agulha atrás da orelha e em um braço, com o corpo todo coberto com pó amarelo. (...) Análises preliminares do pó revelaram a presença de alumínio (55%), ferro, cálcio e potássio. Porém, não foi encontrado nenhum resquício de sílica, componente básico de toda a areia terrestre". Há um artigo básico de Reginaldo Athayde sobre o tema, intitulado "Extraterrestres atacam e matam no Nordeste brasileiro" (UFO 07, jun.1989:7-11).



Referências bibliográficas:
AGOSTINELLI, Alejandro. A busca da humanidade por extraterrestres. UFO 49, fev. 1997:18-21.
BOAVENTURA Jr., Edison. Nova onda ufológica. UFO 38, jun. 1995.
CARVALHO-NETO, Paulo de. Introdução ao Folclore Extraterrestre. Campo Grande (MS): UFO Especial 12, maio 1996. (Primeira parte do livro "O POVO DO ESPAÇO"), publicado por fascículos na revista Folklore Americano, 40,53,54 e 55. México, 1985-1993.
COVO, Claudeir. Fim do acobertamento ufológico? UFO 46, out. 1996.
COVO e outros. ETs de Varginha Urgente. UFO 49, fev. 1997:41.
DONDERI, Don C. The effect of conscious and unconscious attitudes about UFO evidence on scientific acceptance of the extraterrestrial hypothesis, 1979.
FARIAS, João. Do Ocidente ao Oriente há registros de artefatos celestes. UFO Especial 15, nov. 1996:32).
GODOY CORDEIRO, Gilberto de. ETs agitam também o litoral paulista. UFO 38, jun. 1995:21.
BENÍTEZ, J. J., Um ufólogo que contesta até a própria igreja. UFO 47, 1996.
GUARUJÁ, Grupo Ufológico. Contactos com alienígenas no litoral de São Paulo. UFO Especial 16, jan. 1997:6-18.
MUFON. Hypnosis of imaginary UFO abductees. Mufon Symposium Proceedings, 1979.
LAWSON, Alvin H. Alien roots: six UFO entity types and some possible earthy ancestors, Mufon Symposium Proceedings, 1979.
MELLO, Ademar Eugênio. O contacto final. UFO 11, ago. 1990:21-27.
MERCADO DE MEDEIROS, Pedro Raul. A Grande Guerra Mística. UFO 38, jun. 1995.
MOURA, Gilda. Transformadores da consciência. Rio de Janeiro, Editora Nova Era, 1992.
NAVES DE OLIVEIRA, Danielle. Dino Kraspedon. UFO 46, out. 1996:12.
PETIT, Marco Antonio. Análise de contactos com os extraterrestres no Brasil. UFO 10, 1966.
PETIT, Marco Antonio. Discos Voadores, UFO Especial 15, nov. 1996:06.
RIBEIRO, Joaquim. Introdução ao estudo do folclore brasileiro. Ensaio. Rio de Janeiro. Editora Alba Ltda.
SILVA Jr., João Fernandes. Exobiologia: um passo decisivo ao futuro. UFO 44, 1996.
SOUZA BARROS Jr., Orlando de. Bíblia descreve miscigenação entre Extraterrestre e Humanos. UFO Especial 15, nov. 1996:26.
STEVENS, Wendelle C. e GEVAERD, A. J. Abdução e Experiência Genética em Maringá. UFO Especial 12, maio 1996.
SWORDS, Analisando a hipótese dos OVNIs como viajantes do tempo. UFO Especial 14, set. 1996:09).

FONTE: Artigo da Revista UFO Brasileira

Artigo adaptado para Português Europeu por Raul Silva